Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Aquisição da All Chemistry do Brasil pela SM Empreendimentos Farmacêuticos terá que ser notificada ao Cade

Notícias

Aquisição da All Chemistry do Brasil pela SM Empreendimentos Farmacêuticos terá que ser notificada ao Cade

Ato de Concentração

Tribunal entendeu que a operação, embora não se enquadre nos critérios de notificação obrigatória, precisa ser avaliada pelo órgão antitruste
por Assessoria de Comunicação Social publicado: 05/09/2018 12h35 última modificação: 05/09/2018 12h35

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) determinou, nesta quarta-feira (05/09), que a SM Empreendimentos Farmacêuticos submeta para análise da autarquia a operação envolvendo a compra da All Chemistry do Brasil. A deliberação ocorreu no julgamento de recurso da empresa contra decisão da Superintendência-Geral, que já havia solicitado notificação do caso.

A conselheira relatora do recurso, Polyanna Vilanova, explicou em seu voto que, embora o ato de concentração não se enquadre nos critérios de faturamento de notificação obrigatória previstos na Lei 12.529/2011, é recomendável o aprofundamento da análise concorrencial. O Cade pode requerer a submissão de operações que estejam fora dos critérios legais de notificação em até um ano da data de sua consumação.

O Tribunal seguiu o entendimento da Superintendência de que as sucessivas aquisições realizadas pela SM Empreendimentos causam preocupação, pois levaram o grupo a obter uma expressiva participação de mercado no setor de distribuição de insumos para farmácias de manipulação.

“A atuação conjunta dessas empresas pode resultar, entre outros efeitos, em diminuição da concorrência e aumento de preços. Assim, o incerto impacto resultante da operação justifica uma análise mais detalhada de seus efeitos ao mercado, demandando a identificação e eventual controle de possíveis danos ao ambiente concorrencial”, afirmou a relatora.

A conselheira reforçou que a análise do ato de concentração não compreende a verificação de infrações à ordem econômica que possam estar atingindo o mercado. As eventuais condutas anticoncorrenciais poderão ser objeto de investigação por meio de inquérito ou processo administrativo pela Superintendência-Geral.

O Conselho determinou o prazo de 30 dias para que o ato de concentração seja notificado à autarquia.

Denúncias

Nos últimos anos, o Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência recebeu várias denúncias indicando forte preocupação com as diversas operações realizadas pelo grupo da SM Empreendimentos. Ao longo de quase uma década, o grupo comprou várias empresas que reforçaram a sua atuação no ramo de distribuição de insumos para farmácias de manipulação.

A operação envolvendo a All Chemistry chegou ao conhecimento do Cade no ano passado, por meio de denúncia oferecida via canal Clique Denúncia (disponível no site da autarquia). Na alegação, foi relatado que o grupo SM Empreendimentos estaria dificultando a livre concorrência no mercado após a compra da empresa.

Notificação obrigatória

Os incisos I e II do art. 88 da Lei nº 12.529/2011 determinam que são de submissão obrigatória ao Cade os atos de concentração nos quais um dos grupos envolvidos na operação tenha registrado faturamento bruto igual ou superior a R$ 750 milhões, e um outro grupo faturamento bruto igual ou superior a R$ 75 milhões. Em ambos os casos, o montante deve ser referente ao ano anterior à operação, obtido no Brasil.