Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Brasil sugere medidas para fortalecer rede internacional de defesa da concorrência

Notícias

Brasil sugere medidas para fortalecer rede internacional de defesa da concorrência

International Competition Network

Propostas foram apresentadas durante encontro anual de agências antitruste
por Assessoria de Comunicação Social publicado: 28/04/2014 00h00 última modificação: 14/03/2016 12h58


O presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade, Vinicius Marques de Carvalho, sugeriu três medidas para aprimorar a agenda de implementação da International Competition Network – ICN, rede da qual participam cerca de 130 agências de defesa da concorrência de uma centena de países. As contribuições brasileiras foram apresentadas durante o 13º encontro anual da organização, realizado em Marrakech de 22 a 25 de abril.

A primeira medida proposta foi a divulgação e ampliação do acesso aos produtos da ICN, que atualmente compreende mais de 100 documentos de trabalho, tais como recomendações e manuais de boas práticas, além da universidade virtual de concorrência. Esses produtos são resultado da troca internacional de experiências na análise de atos de concentração, investigação de condutas anticompetitivas e promoção da concorrência.

A segunda sugestão apresentada foi a promoção de mecanismos de autoavaliação das agências quanto à implementação dos produtos da ICN. Por fim, a terceira proposição foi o fortalecimento da assistência aos países na aplicação desses documentos.

O presidente do Cade destacou que a implementação dos produtos é importante para todas as agências da rede, composta por autoridades recém-criadas ou mais antigas, e localizadas em países com variadas realidades econômica, social, política e jurisdicional.

"Por mais de uma década, os membros da ICN e os consultores não governamentais que contribuem para as discussões da rede trabalharam juntos na criação de um rico, diverso e consensual catálogo de documentos de trabalho, elaborados a partir de intensa troca de experiência e de melhores práticas em defesa da concorrência".

As propostas do Cade serão discutidas no âmbito do grupo de direção da ICN para que sejam aprimoradas e, em seguida, adotadas pela organização.

O encontro de 2014 da ICN reuniu 520 participantes de 90 países e foi o primeiro do qual o Brasil participou depois que assumiu a vice-presidência da rede, em outubro passado. Desde então, o Cade tornou-se responsável por coordenar a agenda de implementação dos produtos e iniciativas da organização.