Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cade aprova, com restrições, aquisição de produtos da marca Buscopan pela Hypera

Notícias

Cade aprova, com restrições, aquisição de produtos da marca Buscopan pela Hypera

SESSÃO EXTRAORDINÁRIA

Aval foi condicionado à assinatura de um Acordo em Controle de Concentrações
por Assessoria de Comunicação Social publicado: 30/07/2020 10h33 última modificação: 30/07/2020 10h35

Nesta quarta-feira (30/07) o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, com restrições, a aquisição, pela empresa farmacêutica Hypera, do negócio de desenvolvimento, fabricação, comercialização, marketing, distribuição e venda da família de produtos Buscopan no Brasil, atualmente detido pela Boehringer Ingelheim International. A operação foi condicionada à celebração de um Acordo em Controle de Concentrações (ACC).

Em seu voto, o conselheiro relator Luis Henrique Bertolino Braido explicou que a operação, conforme apresentada ao Cade, tinha potencial de gerar concentração elevada no mercado de antiespasmódicos combinados com analgésicos. Nesse segmento, a Boehringer Ingelheim é a detentora dos medicamentos Buscopan Composto e Buscoduo, enquanto a Hypera atuava com o Neocopan Composto.

Desse modo, para endereçar a preocupação apontada, foi definido em acordo que a Hypera deveria alienar sua participação neste mercado com a venda do medicamento. Essa operação resultou no Ato de Concentração 08700.002536/2020-36, aprovado pelo Cade em 09 de junho, no qual a empresa União Química adquiriu o nome comercial do Neocopan Composto, bem como registros sanitários e know how necessário para o processo de fabricação do produto.

Por meio do ACC, a Hypera também assume uma série de obrigações comportamentais, que incluem o compromisso de realizar seus melhores esforços para que a completa transferência dos negócios, registros e demais ativos necessários à produção do Neocopan Composto seja feita o mais rápido possível.

“Visto que o ACC pactuado garante entre outros pontos os termos acima, entendo que o acordo é eficaz para afastar as preocupações resultantes da operação”, concluiu o relator.

Acesse o Ato de Concentração nº 08700.001226/2020-02.