Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cade conquista prêmio de boas práticas da CGU

Notícias

Cade conquista prêmio de boas práticas da CGU

Institucional

Ferramenta de pesquisa por processos administrativos deu o prêmio à autarquia. Tecnologia já foi compartilhada com outros órgãos públicos
por Assessoria de Comunicação Social publicado: 09/12/2015 16h00 última modificação: 22/04/2016 11h41

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade foi um dos vencedores do III Concurso de Boas Práticas, promovido pela Controladoria-Geral da União – CGU. A cerimônia foi realizada nesta quarta-feira (09/12) em Brasília.

O prêmio foi recebido pelo presidente do Cade, Vinicius Marques de Carvalho. "É um reconhecimento do esforço de toda a equipe do Cade na melhoria contínua dos processos de gestão do órgão", disse Carvalho.

O Cade venceu na categoria Promoção da Transparência Ativa e/ou Passiva em função da “Pesquisa Pública de Processo Administrativo". Por meio dessa ferramenta, disponível no site do órgão, é possível verificar os processos e atos de concentração em andamento na autarquia. A opção de pesquisa online foi desenvolvida pelo setor de Tecnologia da Informação do Conselho no âmbito do projeto “Cade sem Papel”.

Prática e eficiente, a ferramenta de pesquisa já foi cedida pelo Cade a outras entidades da administração pública, a exemplo da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel, Agência de Transportes Aquaviários – Antaq e Prefeitura de São Paulo. A intenção do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão é que a tecnologia seja disponibilizada a todos os órgãos signatários do Processo Eletrônico Nacional – PEN.

Estímulo à inovação

O concurso da CGU recebeu um total de 66 inscrições com iniciativas relacionadas às áreas de controle interno, transparência e prevenção, ouvidoria e correição. O objetivo foi estimular, reconhecer e premiar propostas do Poder Executivo Federal que contribuam para a melhoria da gestão pública.

Além da categoria em que o Cade concorreu, foram escolhidos projetos nas áreas de aprimoramento das auditorias internas; fortalecimento dos controles internos; aprimoramento das atividades de ouvidoria; e aprimoramento das apurações disciplinares e de responsabilização de entes privados.