Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Estudo do Cade analisa competição no mercado de saúde suplementar

Notícias

Estudo do Cade analisa competição no mercado de saúde suplementar

Estudo

Publicação do DEE avalia como disposição a pagar dos consumidores a mais por serviços de saúde influencia dinâmica concorrencial
por Assessoria de Comunicação Social publicado: 01/07/2020 17h35 última modificação: 01/07/2020 17h46

O Departamento de Estudos Econômicos do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (DEE/Cade) publicou nesta quarta-feira (01/07) o documento de trabalho “Aplicação de modelos de disposição a pagar no estudo da competição na saúde suplementar”. O objetivo é analisar como a utilização de modelos de preços hedônicos (preços implícitos relacionados a atributos diferenciados) e de disposição a pagar dos consumidores (Willingness to Pay – WTP) influencia a dinâmica concorrencial do mercado de prestadores de serviços de saúde e de operadoras de planos de saúde no Brasil.
 
De acordo com o estudo, WTP significa “o quanto o consumidor está disposto a pagar a mais por determinada característica de um produto”. No caso do mercado de saúde suplementar, o documento aborda a disposição a pagar dos beneficiários dos serviços de saúde a partir da inclusão de um prestador específico na rede assistencial do seu plano, apontando, entre outras questões, como isso estaria relacionado ao valor negociado entre o prestador e o plano de saúde.

Para viabilizar a análise, são apresentadas duas linhas diferentes de estimar a WTP dos consumidores. A primeira, baseada no trabalho do economista Shewin Rosen (1974), leva em conta características diferenciadas do serviço oferecido. O segundo modelo, por sua vez, considera peculiaridades relativas tanto ao produto quanto à dinâmica de contratações nos mercados de saúde. Essa abordagem tem como base artigos dos economistas Martin Gaynor, Robert Town (2012) e Kate Ho e Robin Lee (2017, 2019).

O estudo conduzido pelo DEE/Cade é mais uma relevante contribuição para a análise deste mercado tão importante da economia brasileira. “À medida em que os mercados de prestadores de serviços de saúde e de planos de saúde, em muitos casos já concentrados, concentram-se ainda mais e que a relação entre grandes grupos dos diferentes elos da cadeia da saúde suplementar torna-se mais relevante na organização desses setores, compreender melhor as relações entre rede assistencial e planos de saúde torna-se imprescindível”, aponta o documento.

Acesse na íntegra o documento de trabalho “Aplicação de modelos de disposição a pagar no estudo da competição na saúde suplementar”